Inquérito das fakes é acionado na Corte Interamericana

Pleno Notícias, 26/06/2020 11h33

  Imprimir
 
 (Foto: Reprodução) Ampliar imagem:  (Foto: Reprodução)
Foto: Reprodução

A Associação Nacional de Membros do Ministério Público, chamada MP Pró-Sociedade (AMPPS), protocolou um pedido junto à Corte Interamericana de Direitos Humanos, na última quarta-feira (24), para que a entidade recomende ao Supremo Tribunal Federal (STF) “a imediata paralisação” do inquérito instaurado pela Corte para investigar a disseminação de notícias falsas.

Segundo a associação, a iniciativa foi tomada “em favor das vítimas brasileiras que sofreram e estão a sofrer constrangimento ilegal e violação à liberdade de expressão, informação, de imprensa, manifestação e de locomoção”, por conta dos atos realizados pelo Supremo Tribunal Federal brasileiro “na condução das investigações”.

O pedido detalha que o inquérito foi instaurado por portaria de 14 de março de 2019, do gabinete da Presidência do STF, a quem a entidade acusa de violar diretamente os direitos fundamentais resguardados pela Convenção Interamericana de Direitos Humanos.

A entidade também ressalta que, em 16 de Abril de 2019, a então Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, já havia pedido o arquivamento da investigação sob o argumento de que não cabe ao Poder Judiciário investigar delitos sem a condução da investigação pelo Ministério Público, em “fato que viola frontalmente o Sistema Acusatório estabelecido pela Constituição de 1988”.

 

     

   © Copyright 2009 | 2020    Política de privacidade     Fale conosco  |   Anuncie conosco  |