Brasil já monitora 132 suspeitas de coronavírus, mas governo estima cerca de 300 casos

O Observador, 28/02/2020 13h22

  Imprimir
 
 (Foto: Reprodução) Ampliar imagem:  (Foto: Reprodução)
Foto: Reprodução

O Ministério da Saúde informou nesta quinta-feira, 27, que o Brasil monitora 132 casos suspeitos de infecção pelo coronavírus. Até agora, um caso da doença foi confirmado, em São Paulo. A quantidade de suspeitas deve continuar crescendo, segundo a pasta, em razão do aumento da "sensibilidade de vigilância" com a inclusão de 15 países no monitoramento.

Conforme o secretário executivo do ministério, João Gabbardo dos Reis, "dá para avaliar que estamos próximos de 300 casos suspeitos de coronavírus".

Os critérios para definir um caso suspeito de coronavírus, disse o ministério, passaram a enquadrar as pessoas que apresentarem febre e mais um sintoma gripal, como tosse ou falta de ar e tiveram passagem pela Alemanha, Austrália, Emirados Árabes, Filipinas, França, Irã, Itália, Malásia, Japão, Cingapura, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Tailândia, Vietnã e Camboja, além da China, nos últimos 14 dias.

De acordo com Gabbardo, neste momento há mais 213 notificações analisadas, o que pode elevar o número.  Sobre esse passivo, ele comentou que isso ocorreu porque a equipe de análise estava apta para uma demanda que era, até então, de poucos casos por dia. Mas só na terça chegaram ao ministério cerca de 300 notificações encaminhadas pelas secretarias de saúde. O grupo deve ser ampliado para atender as notificações.

Três pessoas listadas como suspeitas não viajaram para esses países, mas tiveram contato com o paciente de São Paulo já confirmado para o coronavírus. Para ele, além do aumento de países-alvo, o fato de ter havido a primeira confirmação na segunda-feira, pode ter levado a um aumento da procura. "Pessoas que vieram da Itália, que tiveram os sintomas, ao saber que houve um caso confirmado de alguém que veio da Itália... isso pode ter gerado nas pessoas uma necessidade de buscar a opinião de um profissional de saúde. E esse profissional, ao examinar alguém que veio da Itália, com sintomas, sabendo que no dia anterior teve a confirmação... tudo isso ajuda a aumentar a demanda", disse.

Isso ocorre porque há uma recomendação ou notificação de casos por parte das secretarias estaduais de saúde. Os técnicos do ministério, então, examinam os dados, checam se eles preenchem os quesitos para serem considerados suspeitos e então eles começam a ser tratados assim, para ir para os testes. Mas como estão chegando muitas notificações nas últimas horas, há mais 213 que ainda não passaram por essa análise do ministério. Por isso, a expectativa é que o números de casos deve subir.

Sessenta casos suspeitos de coronavírus já foram descartados no País. Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.

Ministério vai antecipar vacinação contra gripe

O ministério irá antecipar a campanha de vacinação contra a gripe por causa do risco de surto de coronavírus, anunciou nesta quinta-feira, 27, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em coletiva de imprensa realizada no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo.

O coronavírus continua rapidamente se espalhando pelo mundo e já foi detectado em pelo menos 44 países, fora da China, em todos os continentes, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. Mas a cada momento novos países fazem anúncios de casos, ainda não contabilizados pela OMS. 

 

     

   © Copyright 2009 | 2020    Política de privacidade     Fale conosco  |   Anuncie conosco  |