Mapa de inundação está sendo elaborado após rompimento em bacia na região de Machadinho do Oeste - NoticiaDaki - Informação de qualidade |

Mapa de inundação está sendo elaborado após rompimento em bacia na região de Machadinho do Oeste

O Rondoniense, 03/04/2019 11h15

  Imprimir
 
 (Foto: Reprodução) Ampliar imagem:  (Foto: Reprodução)
Foto: Reprodução

Preocupada em responder rapidamente a população atingida pelo rompimento de uma bacia de decantação em Machadinho D’Oeste, a Secretaria de Desenvolvimento Ambiental (Sedam) continua o monitoramento diário na região atingida pelo rejeito formado por água, areia e argila. Um mapa de inundação está sendo elaborado para conhecer as dimensões exatas da área total atingida. Defesa Civil e Departamento de Estradas, Rodagens, Infraestrutura e Serviços Públicos (DER) trabalham para garantir suporte à população com acesso às vias.

Após uma tromba d’água originada por chuvas intensas no distrito de Novo Oriente, na tarde de sexta-feira (29), um rompimento de uma bacia de decantação atingiu dois barramentos e inundou uma grande área da região. Segundo a Sedam, com as análises realizadas por vídeos, estudos de campo e vistorias aéreas, concluiu-se que o evento se deu em efeito cascata, a partir de um reservatório de água na parte superior da montante do rio.

O reservatório foi criado sem fins econômicos, com corpo hídrico represado para construção de uma via. Com as chuvas intensas houve um rompimento desse reservatório e a água armazenada desceu à jusante, atingindo dois barramentos. Conforme explicou o engenheiro de minas, Péricles Monteiro Quadros, o termo barragem de rejeito pode não ser o mais apropriado para o ocorrido, pois segundo a Agência Nacional de Monitoramento (ANM) existem critérios para classificação, nesse caso, em Machadinho, a secretaria denomina bacia de decantação, pelo volume menor de rejeitos.

Uma equipe técnica realiza o monitoramento da água diariamente, para saber se o Rio Belém será afetado pelos rejeitos. Este rio é responsável pela captação de água que abastece a população de Machadinho D’Oeste. “A probabilidade disso acontecer é mínima, porque o rejeito ou água tem o potencial baixo de escoamento, devido a topografia do terreno, que é muito plana”, explicou o engenheiro, pois o terreno plano desfavorece o escoamento por um longo caminho, e como observando por monitoramento aéreo e registros fotográficos, o final do percurso atingido pelo rejeito apresenta vegetação intacta, demonstrando que o potencial do rejeito foi leve, não abalando a estrutura da vegetação. Para conhecer melhor as dimensões da área atingida pelo rompimento, o setor de georreferenciamento da Sedam está elaborando um mapa de inundação, onde será possível quantificar o ocorrido e autuar os possíveis responsáveis.

Com apoio do IBAMA, ANM (responsável por fiscalização e monitoramento) e Polícia Técnico-Científica (Politec), que disponibilizou um geólogo com experiência em área de mineração com cassiterita e monitoramento de barragem de dano potencial alto, a equipe designada tem competência para dimensionar e oferecer suporte para a população da região, com informações a respeito de contaminação. A cassiterita é um minério de alta densidade e, misturada com argila e terra, submetida à água em movimentos vibratórios de cima para baixo, há separação dos materiais mais densos e pesados, que ficam em nível baixo e são os produtos comercializados (como o estanho), e os materiais mais leves, que ficam em nível alto, e escoem para o rejeito da produção.

“POR ISSO, FALAMOS QUE O REJEITO É DE 90% DE ARGILA E AREIA SEM POTENCIAL DE CONTAMINAÇÃO, POR NÃO CONTER REAGENTES QUÍMICOS. O NOSSO ALENTO É QUE O ESTANHO NÃO REAGE COM A ÁGUA, NOS DANDO TRANQUILIDADE”, ALEGOU PÉRICLES.

Na região atingida, foram identificadas durante o período do rompimento sete pontes danificadas, como os acessos ao distrito de Novo Oriente. A Defesa Civil trabalha com o levantamento das pessoas isoladas e a partir disso, junto ao DER, já iniciaram ações de reparos para acesso às vias, garantindo o direito de ir e vir à população.

 

     

   © Copyright 2009 | 2019    Política de privacidade     Fale conosco  |   Anuncie conosco  |